→ Gestão

Como se manter no mercado? Confira 3 lições de empreendedores catarinenses que precisaram se reinventar 

C-levels de empresas de Santa Catarina apontam os desafios e os aprendizados que os ajudaram a crescer mesmo em meio a dificuldades

Com a volatilidade e a competitividade do mercado atual, a evolução das empresas deixa de ser uma opção e passa a se tornar uma imposição para aquelas que querem permanecer ativas com seus negócios. A pandemia reforçou ainda mais a questão, comprovando que é necessário estar pronto para se reinventar a qualquer momento. 

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 700 mil empreendimentos que fecharam as portas na pandemia não devem reabrir.  Agora, mesmo com a retomada econômica, é importante que os empreendedores permaneçam atentos ao contexto para reconhecer as oportunidades e demandas por inovação. “Em um mundo marcado pela transformação digital acelerada, as empresas precisam se reinventar de forma contínua, acompanhando as mudanças nas tecnologias e nos hábitos dos seus consumidores,  se querem permanecer vivas”, comenta João Gustavo Pompeo, CEO da Eyemobile, empresa de tecnologias para vendas.  Esse retrato já começa a refletir na média de vida dos negócios globais, que caiu de 58 anos, em 1958, para cerca de 22 anos atualmente, segundo pesquisa da consultoria McKinsey. 

Confira três lições de empreendedores que precisaram reinventar suas operações, processos, mentalidades, produtos ou serviços para permanecer no mercado. 

Esteja preparado para se fortalecer em novos mercados

As consequências drásticas da pandemia de Covid-19 não impactaram somente o mercado de eventos, como também todo o ecossistema que dá suporte ao setor. Um exemplo foi o da empresa Eyemobile, que oferecia uma solução de vendas móvel que ajudava a acelerar a experiência de consumo em grandes eventos.  Criado em 2013, o software da startup permitia que o vendedor fizesse a operação sem estar no caixa — inovação que ajudava principalmente a reduzir as filas —, reunindo no portfólio cases como Jogos Olímpicos e Rock in Rio. Com a pandemia, porém, a empresa perdeu 95% do faturamento e acabou precisando reduzir o time de 100 para 15 colaboradores.

Diante do cenário, o CEO, João Gustavo Pompeo, decidiu fortalecer a atuação no varejo, área em que a empresa dava os primeiros passos à época. Ele, que havia se reinventado como empreendedor após uma trajetória de atleta e de músico no passado, percebeu que era o momento de recomeçar. “Mesmo que nós já houvéssemos iniciado nossa trajetória no varejo, precisamos mudar toda a estrutura para focar nesse segmento e, sobretudo, atuar também no ambiente virtual, que crescia exponencialmente”, explica João. A empresa passou a oferecer novos produtos focados em jornadas de compras digitais, com tecnologias para autoatendimento por QR CODE, delivery e take-away, por exemplo. 

Além de superar as adversidades, a Eyemobile chamou a atenção de grandes marcas com seu modelo de negócio promissor e, em 2021, acabou sendo adquirida pela Getnet, braço de tecnologia de pagamentos do Grupo Santander. Hoje, a empresa oferece um sistema completo para vendas físicas e digitais, que integra frente de caixa (PDV), comandas eletrônicas, software de gestão, notas fiscais, meios de pagamento e relatórios de vendas. Desde a aquisição, o ritmo é de crescimento acelerado, com expectativas de ampliação do time para mais de 120 pessoas e de internacionalização das atividades neste ano. 

Encontre uma dor real do mercado e desenvolva a solução

Foram mais de 10 MVPs até que o sonho de empreender levasse seis jovens recém-formados a uma solução escalável, criada para resolver uma dor real da área de trade marketing. A história da Involves, retail tech que desenvolve soluções para indústria e varejo, começou em 2008, em um quarto emprestado pelos pais de um dos sócios. André Krummenauer, co-fundador e CEO da empresa, conta que, inicialmente, a Involves era uma fábrica de softwares. “Nós tínhamos o sonho de empreender em tecnologia e começamos desenvolvendo portais, sites e sistemas específicos para atender as necessidades de alguns clientes”, relembra André. 

Em paralelo, desde o primeiro dia da Involves já se colocavam esforços para ter um produto SaaS (Software as a Service) como o foco da empresa. “Buscando mais informações sobre indústria e varejo, identificamos os desafios enfrentados pelo setor  para fazer a gestão de trade marketing. Foi aí que decidimos investir em um produto que solucionasse esses problemas”, explica André. Nascia então o Involves Stage, solução completa para a execução, gestão e inteligência em trade marketing

Com a solução já consolidada no mercado e o conhecimento acumulado durante vários anos, a Involves decidiu ampliar e apostar em produtos que resolvessem também problemas dos varejistas, como o Involves Doors, que identifica e ajuda a corrigir uma das principais dores no varejo: a ruptura nas gôndolas. Atualmente, as soluções da Involves estão presentes em mais de 20 países, sendo usadas por clientes como L’Oréal, Fini, Unilever, Playstation, Motorola, Seara, Danone e 3 Corações. 

Busque parcerias com startups, universidades e outras empresas

A FESC Tecnologia, empresa criada em 2011 pela Federação Unimed Santa Catarina, passou por uma grande transformação buscando uma rápida profissionalização e fortalecimento de mercado no início de 2021. Neste contexto, Daniel Torres foi convidado para assumir como CEO na desenvolvedora de softwares de gestão para operadoras de planos de saúde. Torres acumulava experiência como executivo na Oracle e no Gartner e começou a pensar em novos caminhos para a expansão da empresa. O primeiro passo foi o trabalho de reestruturação interna, com definição de novos setores e serviços, por meio de uma gestão colaborativa. 

Mas a grande mudança veio em agosto de  2021, quando a FESC Tecnologia passou a ser a healthtech Zitrus. A prioridade em inovação ganhou força, assim como a parceria com startups, empresas de tecnologia e operadoras de planos de saúde, em um processo conjunto de inovação aberta e busca de novas soluções. Assim, foi implantado o Zlabs, um Hub de Inovação e Aceleração da Zitrus. A iniciativa, que conta com a parceria das 23 Unimeds catarinenses,  já trouxe resultados práticos e deu origem à TARIC, empresa com foco no desenvolvimento de prontuário eletrônico, gestão de clínicas, colaboração entre o paciente e o médico e medicina preventiva. “Estamos vivenciando uma transformação muito grande nas operadoras de planos de saúde e agora estamos prontos para atender a essa demanda. Para isso, tivemos que nos reinventar, pensar em conjunto soluções para o setor de saúde e desenvolver novos serviços para resolver esses desafios. Atualmente, são mais de 21 mil cooperados assistidos por nossos produtos, e queremos avançar ainda mais”, complementa Torres. 

Com a atuação, os resultados de 2021 superaram as expectativas, alcançando um crescimento de 56% no faturamento, além de ampliação de 172%  no lucro líquido e 36% do EBITDA .

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s